BEBÊ DE 23 DIAS ENGASGADO É SALVO POR POLICIAIS MILITARES DE MOSSORÓ/RN

Heitor Cauê se engasgou enquanto dormia. A mãe saiu de carro à procura de ajuda, se deparou com a viatura na BR-304 e policiais fizeram a manobra para desengasgar criança.

Policiais militares do Departamento de Polícia Rodoviária Estadual usaram manobras de salvamento para ajudar um bebê de apenas 23 dias que estava engasgado e com dificuldade de respirar na tarde desta terça-feira (2), em Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte.


A mãe da criança saiu de carro procurando ajuda quando se deparou com a viatura do DPRE na BR-304, próximo a saída da cidade para Natal. Os policiais fizeram a manobra para desengasgar e conseguiram salvar a criança. Heitor já está em casa e passa bem.

Daniele Santana, de 20 anos, mãe do pequeno Heitor Cauê, contou que o bebê estava dormindo por volta das 11h50, mas acordou com dificuldade de respirar.

“Ele já acordou agoniado, roxo, sufocado. Saímos eu e meu pai de carro e quando a gente estava fazendo o contorno na BR a gente viu o carro da polícia. Meu pai encostou o carro e a gente pediu ajuda. Tinha 3 policiais, um deles desceu. E eu gritei: pelo amor de Deus, salve a vida do meu filho”, contou a mãe.

O sargento Silvestre Júnior, do 2º DPRE contou que ele e os outros dois policiais que estavam na viatura, sargento Madson e sargento Valnei, acharam que se tratava de uma ocorrência de assalto.

“Não estamos acostumados com esse tipo de ocorrência. Quando eu peguei a criança, ela estava mudando de cor. Chorando muito. Coloquei ela nos meus braços, o peito dela na palma da minha mão, com a cabeça pra baixo e fiz a massagem nas costas do bebê. Foi quase instantâneo, ele parou de chorar”, contou Silvestre.


Depois de perceber que a criança já estava respirando, os policiais levaram o bebê e a mãe até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Alto de São Manoel.


“Fui com eles na viatura até a UPA. Eles foram me acalmando. E Heitor foi no colo do sargento, bem quietinho”, disse a mãe. Ao dar entrada na unidade, a equipe da UPA ainda verificou a saturação e se havia algum risco de engasgo e depois de ficar em observação, o bebê foi liberado.

“Se não fosse eles, eu não sei o que teria sido”, declarou a mãe agradecida.

Para os policiais, foi uma ocorrência gratificante. “Quando terminou, foi que a gente teve a noção do que tinha feito: a gente tinha salvado a vida daquele bebê de 23 dias. A gente só tem a agradecer a Deus, que foi ele que colocou a gente no lugar certo e na hora certa. E foi ele quem nos guiou a fazer os procedimentos corretos”, declarou o policial.


G1 RN

6 visualizações0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube
  • 124034